Scripts que você deve ter quando trabalha com Exadata / GI / RAC / ASM / OPatch

Franky Weber Faust

Franky trabalha na Pythian como Consultor de Banco de Dados Oracle.
Tem amplo conhecimento em Oracle Exadata e tecnologias de alta disponibilidade, também tem conhecimento em outros SGBDs como MySQL, Cassandra e SQL Server.
Está sempre aprimorando suas habilidades focando principalmente no desempenho de Oracle Databases e Alta Disponibilidade.
Já esteve envolvido em grandes implementações de Oracle RAC multi-nós em Linux, AIX e Exadata e também em implementações de ambientes multisite com Oracle DataGuard.
Ele é OCP 12c, OCE SQL, OCA 11g, OCS Linux 6 e RAC 12c e foi nomeado Oracle ACE em 2017.
É bastante conhecido na comunidade brasileira de banco de dados por seu blog http://loredata.com.br/blog e por todo o apoio e suporte na comunidade Oracle do Brasil.
Franky escreve frequentemente para a OTN e é palestrante em alguns eventos sobre Oracle e banco de dados no Brasil e no exterior. Fique à vontade para entrar em contato através das redes sociais.

Scripts que você deve ter quando trabalha com Exadata / GI / RAC / ASM / OPatch

Pare de perder tempo para verificar que patch foi aplicado e em qual nó.
Pare de sofrer ao verificar o espaço utilizado de um diskgroup.
Pare de tentar ler a saída do “crsctl stat res -t” para saber onde estavam seus databases/services/listeners antes do reboot.
Deixe de se preocupar com os logs do Oracle enchendo o filesystem.

Algumas tarefas rotineiras dos DBAs como as listadas abaixo deveriam ser simples, mas não são:
• “Que instâncias (listeners, services) estão online (e em quais nós) em todo o meu cluster? Estavam de pé do mesmo jeito e nos mesmos nós antes do reboot?”
• “Quão usados estão meus diskgroups? Quantos % livre tenho nos meus diskgroups? req_mir_free_mb precisa ser subtraído do usable_file_mb para saber o tamanho dos meus diskgroups?”
• “Que patches estão instalados em todo o meu cluster? Tem algum patch faltando em algum dos meus OH? Em qual nó?”
• etc . . .

Nessa palestra vou apresentar alguns scripts que facilitam todas estas tarefas (e muito mais)!

Isso é algo que uisamos diariamente na Pythian e que com certeza fará sua vida como DBA muito mais fácil. Vale a pena compartilhar isso com a comunidade.

Nível Médio

Um comentário em “Scripts que você deve ter quando trabalha com Exadata / GI / RAC / ASM / OPatch

Fechado para comentários.